COMUNICADO DAS FEDERAÇÕES E ASSOCIAÇÕES ACADÉMICAS E DE ESTUDANTES

FNAEESP Comunicados

Na sequência do comunicado hoje tornado público pela Associação Académica de Coimbra, sobre a suposta rutura do Movimento Associativo Nacional, vêm a federações e associações académicas e de estudantes subscritoras deste documento esclarecer o seguinte:

1. A história e a interação entre as federações e associações académicas e de estudantes levou a que um conjunto de estruturas reúnam mais frequentemente, fazendo-se representar em conjunto perante o Governo, CRUP, CCISP, APESP, DGES, entre outras entidades com quem seja necessário um contacto mais direto e regular;

2. As declarações tornadas públicas pela Associação Académica de Coimbra no decorrer do presente dia, não refletem a verdadeira natureza dos acontecimentos consequentes da tomada de posição relativa às comemorações do Dia do Estudante, de cuja comissão organizadora fazia parte;

3. No respeito da autonomia de agenda de cada estrutura, em nenhum momento as federações e associações académicas e de estudantes se manifestaram contra a opção tomada pela AAC, relativamente à não comparência no encontro com o Sr. Primeiro-Ministro, criticando sim a estratégia de mediatização do momento através da exposição pública de declarações que visaram fragilizar a opção das demais estruturas;

4. Rejeitamos veementemente o circo mediático que a Associação Académica de Coimbra se decidiu a instaurar pela ação do seu presidente, Bruno Matias, que em nada contribui para a resolução dos problemas que afetam os estudantes do Ensino Superior;

5. Rejeitamos entrar numa lógica de guerra entre estudantes e as suas estruturas representativas. Ao contrário do que mostra a ânsia populista da Associação Académica de Coimbra, entendemos que o foco deverá estar na elaboração de propostas construtivas que defendam os interesses dos estudantes e na sua reivindicação junto de quem de direito;

6. O Movimento Associativo Estudantil continuará a sua ação em prol dos estudantes, a que todas estas estruturas e todas as que reúnem no Encontro Nacional de Direções Associativas (ENDA) se prestaram representar nas suas eleições. Recorde-se que nunca a AAC propôs qualquer protesto em ENDA ao longo do último ano, tendo optado apenas por o fazer no Dia do Estudante, quando já havia integrado uma comissão de âmbito nacional, para organização das iniciativas do mesmo dia;

7. Rejeitamos qualquer cenário de fragilização do Movimento Associativo Nacional, interpretando as declarações proferidas pelo presidente da Associação Académica de Coimbra como oportunismo político e mediático, procurando na degradação das relações institucionais e no conflito entre estudantes, palco para a sua valorização pessoal;

8. Importa acrescentar que na passada terça-feira, em reunião convocada pela própria AAC, entre as federações e associações académicas e de estudantes, a AAC abandonou a reunião que havia convocado numa clara manifestação de rutura, que roçou inequivocamente a falta de respeito pelos demais, préstimos a que a AAC já nos havia habituado, pela ação do seu presidente, Bruno Matias;

9. Demarcamo-nos assim de qualquer cenário que condicione a atividade do Movimento Associativo Nacional, assumindo publicamente que a tomada de posição da Associação Académica de Coimbra, num ato consciente e premeditado, não receberá por parte das demais estruturas qualquer respaldo ou conivência, consequente da mentira de grande parte das declarações prestadas pelo seu presidente;

10. Garantimos que a agenda já prevista pelo Movimento Associativo Nacional decorrerá com normalidade, colocando o foco nos temas que verdadeiramente interessam aos estudantes do Ensino Superior nacional, num espírito de união, coesão e concertação de posições em prol dos estudantes. O afastamento da Associação Académica de Coimbra desta agenda em nada condicionará a mesma, por isso tal como neste passado recente, o Movimento Associativo Nacional continuará a defender os interesses e os direitos de todos os estudantes do país;

11. Repudiamos e não estamos interessados em guerras para promoção pessoal e política dos dirigentes de qualquer estrutura, estando antes preocupadas em defender os seus estudantes e dessa forma respeitar o património histórico e associativo, não cedendo à demagogia e ao cinismo das declarações do presidente da AAC.

As federações e associações académicas e de estudantes subscritoras:

Federação Nacional de Associações de Estudantes do Ensino Superior Politécnico (FNAEESP)

Associação Académica de Lisboa (AAL)

Associação Académica da Universidade do Algarve (AAUAlg)

Associação Académica da Universidade de Aveiro (AAUAv)

Associação Académica da Universidade da Beira Interior (AAUBI)

Associação Académica da Universidade de Évora (AAUE)

Associação Académica da Universidade do Minho (AAUM)

Associação Académica da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (AAUTAD)

Federação Académica de Lisboa (FAL)

Federação Académica do Porto (FAP)

Federação Nacional do Ensino Superior Particular e Cooperativo (FNESPC)

FNAEESPCOMUNICADO DAS FEDERAÇÕES E ASSOCIAÇÕES ACADÉMICAS E DE ESTUDANTES